Qual foi o crime que o Sub-Tenente João Paulo cometeu? Por que os comunistas perseguem tanto os militares?

Share:


Semana passada o oficial da Policia Militar, o Sub-Tenente João Paulo, um militar exemplar, dos 31 anos de Policia Militar, 21 foram dedicados ao GOE, mesmo assim, a perseguição implacável dos comunistas o afastou do comando GOE, não porque cometeu algum crime, mas pelo simples motivo de ter tirado uma foto com o Presidente da República, Jair Bolsonaro e de ter supostamente entregado o seu fuzil ao presidente.

Depois da repercussão negativa nas redes sociais, os comunistas e seus amarra-cachorros como sempre, foram para as redes sociais e disseram que era mentira, disseram que ele não tinha sido afastado, até o governador amante das mentiras, disse em seu escritório, ou melhor, no Twitter que era fake news.

Ontem a Associação Regional de Cabos e Soldados de Imperatriz e Açailândia, soltou uma nota confirmando o afastamento de João Paulo do comando do GOE e hipotecou apoio ao militar.

Segundo a nota, o fuzil que aparece na foto nas mãos do Presidente Bolsonaro, não é do Sub-Tenente João Paulo, é da Policia do Exército - PE. Esmeraldo Júnior, diz mais, "no estatuto da Policia Militar do Maranhão e no Regulamento Disciplinar do Exército - RDE, não consta punição para os militares por fotografar com autoridades políticas, em especial o Presidente da República" disse o presidente da associação.

Se o fuzil não era do militar e não existe proibição que o impeça de tirar fotos com autoridades, qual foi o crime que ele cometeu? Isso é uma vergonha para um governador que se diz sério, o Pinóquio Avantajado tenta mais uma vez transformar a Policia Militar do Maranhão, que é uma polícia de estado, em uma polícia do governo comunista.

Leia na íntegra a nota da Associação de Cabos e Soldados:



Nenhum comentário